Casão da Armação

Edifício construído para servir de rede e apoio às atividades da pesca da sardinha no ano de 1902.

Tem 48 metros de comprimento de fachada sobre a Rua de Santo António e uma área de 1000 metros quadrados. Empregava centenas de homens nas fainas do mar e nas tarefas em terra.

Os seus processos de pesca constavam de redes fixadas no mar que capturavam a sardinha. Os barcos utilizados neste processo de pesca eram movidos a remos e à vela. O aparecimento dos barcos com máquinas a vapor que pescavam e procuravam a sardinha em movimento, deu origem à extinção das armações fixas na Ericeira no ano de 1931.

Em 1935, o antepassado dos actuais proprietários, José dos Santos Caré, comprou o “Casão da Armação” por 50 contos (250 €) e abriu neste espaço, em 1936, uma oficina de carpintaria manual e de venda de materiais de construção e motores para barcos de pesca.

No ano de 1950 esta oficina foi mecanizada com máquinas de serrar e aplainar madeira de origem estrangeira. Nesta mesma oficina foram construídos alguns barcos de madeira para a pesca local e feitos muitos trabalhos de carpintaria para habitações locais.

Esta atividade durou mais de 50 anos.